sábado, 20 de julho de 2019

Os Novos Tempos, as Mídias Digitais e a Escola



Autora: Karla Oliveira(*)

Atualmente, o homem vive na sociedade da informação, do dinamismo, do imediatismo e do individualismo. Tem-se a sensação de que o tempo passa cada vez com maior velocidade, devido a uma rotina frenética, que mantém o cérebro humano em constante processamento, sempre ligado às novas tecnologias. 

O sociólogo Zygmunt Bauman já tratava sobre a Modernidade Líquida, em que as relações sociais tornaram-se fluídas e inconsistentes. Para o historiador Leandro Karnal, esta é a geração do descartável. 

E a escola mantém-se estagnada em meio a esse ambiente caótico. Professores saudosistas, que afirmam sentir falta dos alunos de “antigamente”, ainda não se deram conta de que estes pacatos pupilos ideais não existem mais, porque os tempos mudaram. 

Antigamente, a escola não precisava competir com a tecnologia, tampouco, dar conta de formar cidadãos críticos e conscientes para lidar com as mídias sociais. 

As ferramentas digitais ocupam na vida das pessoas atualmente um espaço impensável até pouco tempo atrás. 

Mais do que planejar uma aula em um precário Laboratório de Informática, ou mesmo nos casos mais ousados, solicitar o envio de pesquisas por e-mail ou a criação de apresentações de trabalhos em aplicativos de celular, é preciso lidar com o vício de estar constantemente conectado e ter claro que o aluno deve perceber-se como produtor e não apenas consumidor de conteúdos, portanto, responsável pelo que expõe na Internet. 

Com a ampla divulgação de acontecimentos em tempo real, pode-se dizer que houve uma banalização da violência, por se tornar algo cada vez mais comum. 

O caso do atentado de jovens atiradores em uma Unidade Escolar da região metropolitana de São Paulo, que deixou, além de mortos, inúmeras vítimas marcadas psicologicamente por aquela tragédia, no início do ano, é um grande exemplo de que todos são responsáveis por orientar os usuários de mídias sociais sobre o que publicam, curtem ou comentam, visto que, mais do que provocar comoção, o ataque provocou uma onda de novas ameaças, como se o que realmente importasse fosse o alcance da popularidade a qualquer preço. 

A sociedade perdeu muitos parâmetros e valores positivos e a escola não pode simplesmente agir como se nada estivesse acontecendo. 

Maior do que o desafio de ensinar Raciocínio Lógico-Matemático, é preciso que a escola trabalhe com valores, discuta e faça refletir, não apenas sobre a linguagem rasa, que peca em relação à Norma Culta da Língua Portuguesa, mas sobre o conteúdo a que se tem acesso, se assimila, se produz ou reproduz por meio das diversas mídias sociais. 

Há pouco, o país passou por um período eleitoral conturbado, marcado por famosos casos de Fake News. Independentemente de partido ou ideologia política, os professores precisam chamar a atenção dos alunos para que consigam discernir entre notícias verdadeiras ou falsas. 

Hoje, não basta mais comparar três jornais diferentes para analisar a intencionalidade de cada um. As fontes são inúmeras e é necessário aprender a reconhecer as confiáveis. 

É essencial que os estudantes aprendam a filtrar o que vêem, lêem ou ouvem pela Internet, em uma velocidade alucinante, e possam sim, entender e se manifestar crítica e conscientemente, não apenas movidos pelos embalos das novas modas. 

*KARLA REIS MARTINS DE OLIVEIRA 
-Graduada em Letras, com Habilitação Plena em Línguas Portuguesa e Inglesa e Literaturas, pela UNIFATEA, de Lorena (2004); 
- Pós-graduada em: 
- Supervisão Escolar, pela Faculdade São Luís, de Jaboticabal (2019); 
- Psicopedagogia Clínica e Institucional, pela FACON, de Conchas(2018); 
- Gestão Escolar, pela UNIFATEA, de Lorena (2012); 
- Estudos Literários, pela UNIFATEA, de Lorena (2008); 
- Diretora Efetiva da Escola Estadual Galdino Pinheiro Franco, em Mogi das Cruzes/SP; 
- E-mail: diretora.karlaoliveira@gmail.com 
- Twitter: @karla_martins18


Nota do Editor:

Todos os artigos publicados no O Blog do Werneck são de inteira responsabilidade de seus autores. 

27 comentários:

  1. Tempos modernos onde se torna impressindivel o investimento em Educação, principalmente nesta área tão importante que são as mídias e recursos digitais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, meu amigo! Obrigada pela colaboração! ��

      Excluir
  2. Adorei... Muito bem explicado onde todos possam entender ...amei

    ResponderExcluir
  3. Adorei... Muito bem explicado onde todos possam entender ...amei

    ResponderExcluir
  4. Verdade Diretora Karla concordo plenamente Parabéns .😍😍😍

    ResponderExcluir
  5. Texto pertinente ao cenário midiático atual. Parabéns!!

    ResponderExcluir
  6. Perfeita a sua colocação.
    É preciso possibilitar, nas nossas diversas aulas, espaços para discutir com os jovens e orientá-los sobre como lidar de forma saudável com os recursos tecnológicos que eles tem disponíveis. Simplesmente proibir o uso do celular nas aulas não é mais eficiente. É preciso conscientizar sobre como fazer um bom uso desse e de outros aparelhos, bem como lidar com as emoções/frustrações que eles convivem no mundo virtual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita sua colocação! Muito obrigada! ��

      Excluir
  7. Esse é o retrato da realidade que vivemos hoje, näo só os jovens, como nós adultos somos dependentes da internet, já näo conseguimos viver sem ela,acho importante que as pessoas aprendam desde cedo as vantagens e os perigos que a internet pode oferecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente! Muito obrigada pela colaboração! ��

      Excluir
  8. Parabenizo pelo artigo escrito repleto de excelentes propriedades!

    ResponderExcluir
  9. Boa noite, pessoal.
    Muito interessante o artigo da Diretora Karla,profissional de excelência, que tenho a honra de conhecer desde os tempos de professora recém formada; sempre dedicada a encontrar novas estratégias de ensino.
    Nesta postagem, aborda com maestria, a tecnologia como uma ferramenta de ensino e aprendizagem primordial nos dias atuais e enfatiza a importância de o professor fazer uso desse recurso, cuidando para que os jovens saibam " filtrar" informações.
    Nesse sentido, o desafio que se apresenta :Como ensinar a utilizar as tecnologias, em especial, o computador/celular de modo consciente e eficaz?
    Parabéns, Karla.
    Abraço carinhoso e fraterno.



    ResponderExcluir
  10. Muito obrigada, minha querida! ��

    ResponderExcluir
  11. Artigo muito bom e pertinente para o momento... Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  12. Muito bom o artigo. Concordo plenamente. Os alunos de antigamente não existem mais porque os tempos mudaram. Para ensinar e fazer com que os alunos internalizem os conteúdos temos que fazer uso de novas tecnologias buscando formar cidadãos críticos e consciente que saibam lidar com as mídias e idenficar os fakes news. Parabéns Karla. 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso! Muito obrigada pela colaboração! ☺️

      Excluir
  13. Muito bom o artigo. Concordo plenamente. Os alunos de antigamente não existem mais porque os tempos mudaram. Para ensinar e fazer com que os alunos internalizem os conteúdos temos que fazer uso de novas tecnologias buscando formar cidadãos críticos e consciente que saibam lidar com as mídias e idenficar os fakes news. Parabéns Karla. 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela colaboração! ��

      Excluir
  14. Orgulho da minha diretora querida ♥️

    ResponderExcluir
  15. Parabéns, por este arquivo, no qual o homem entra na sensação da rotina frenética da tecnologia, tornando inconsistentes digitais virtual no qual a fala perde o sabor do valores do raciocínio pelo discernimento falso tecnológico perdendo sua consciência em si. Assim em seus conteúdos percebemos que busca formar críticos que sabem identificar seu uso na rotina tecnológica. Antonio Euzébio Martins.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela colaboração, Professor!

      Excluir